Blog de informação sobre a micose, uma infecção da pele causada por fungos e que pode aparecer em qualquer pessoa.
publicado por Tim | Segunda-feira, 25 Junho , 2012, 12:19

O molusco contagioso (molluscum contagiosum é o seu nome científico, em latim) é uma infecção viral da pele que aparece em muitas pessoas, tanto adultas como em crianças. Esta infecção da pele não é considerada séria e normalmente pode desaparecer sem qualquer tratamento no espaço de alguns meses.

 

Como é que o molusco contagioso aparece?

 

O molusco contagioso aparece normalmente através do contacto com pessoas já infectadas (contacto directo entre peles) ou de uma forma mais indirecta, através de objectos que foram por sua vez infectados por essas pessoas. Entre os objectos podemos incluir tolhas, roupas, brinquedos de crianças, etc.

 

Imagem de Molusco Contagioso

 

Como dito no parágrafo acima, tanto os adultos como as crianças podem "apanhar" molusco contagioso. No caso das crianças, isto pode acontecer quando brincarem com outras crianças, enquanto que nos adultos isso pode acontecer após relações sexuais, por vezes quando isso acontece com parceiros diferentes. Também um sistema imunitário algo enfraquecido poderá ser uma causa para o seu aparecimento. 

  • Contacto directo - o contacto directo entre peles, especialmente com uma pessoa já infectada.
  • Partilha de objectos contaminados - tolhas, brinquedos, roupas, etc. poderão transportar o vírus desta infecção da pele.
  • Contacto sexual - não significa somente um acto sexual completo, mas sim também o contacto físico íntimo.
  • Sistema imunitário - pessoas com um sistema imunitário "permeável" estão sempre mais sujeitas a certo tipo de infecções, sendo o vírus do molusco contagioso uma delas. 

Assim que uma pessoa é infectada com o vírus do molusco contagioso, este pode propagar-se para outras zonas do corpo e da pele.

 

Quem está mais em risco?

 

Existe um grupo de pessoas que pode estar mais em risco de obterem a infecção de molusco contagioso, e este grupo de pessoas inclui: 

  • Crianças entre os 1 e os 5 anos de idade.
  • Pessoas que tiveram vários parceiros sexuais.
  • Pessoas com um sistema imunitário enfraquecido, como por exemplo as que sofrem do vírus da SIDA ou as que tiveram tratamentos de quimioterapia, para um cancro. 

Características do molusco contagioso

 

Esta infecção da pele é caracterizada por pequenos pontos que podem variar entre o branco, o rosa e o vermelho. são também redondos, como uma verruga, algo firmes e com cerca de 1-5 milímetros de diâmetro. Normalmente o molusco contagioso aparece em pequenos grupos, em várias partes da pele, embora seja mais raro aparecer nas palmas das mãos e nas solas dos pés. Se espremer um molusco, um líquido esbranquiçado deverá sair.

 

Outra Imagem de Molusco Contagioso

 

Como é que o molusco contagioso se desenvolve?

 

O molusco contagioso leva normalmente cerca de 2 a 8 semanas para desenvolver-se, após a pessoa estar infectada com o vírus. O molusco, como foi mencionado acima, desaparece por si próprio após algumas semanas; cada um dos moluscos (os pontos) "vive" entre 6 a 12 semanas, depois forma uma espécie de crosta e finalmente desaparece. No entanto, também é possível que novos moluscos apareçam logo após outros terem desaparecido, o que significa que esta infecção pode aparecer e desaparecer durante meses.

 

Normalmente leva cerca de 6 meses a 1 ano para que a infecção de molusco contagioso desapareça por completo, mas por vezes a infecção pode permanecer por mais de 2 anos, às vezes até 5 anos.

 

Sintomas do molusco contagioso

 

Embora o molusco contagioso não seja um perigo para a vida, logo nada realmente sério, é uma infecção da pele que pode afectar muitas pessoas, visto que quando se tem esta infecção é bem visível na pele, não sendo esteticamente bonito ver.

 

Molusco contagioso não causa comichão ou qualquer dor e mesmo cicatrizes não são normalmente encontradas após o seu desaparecimento. Algumas pessoas poderão ter uma pele um pouco mais clara no lugar onde o molusco contagioso apareceu, enquanto que outras poderão ter essa mesma área infectada com bactérias.

 

Prevenção

 

Quando e se uma criança, por exemplo, contrair a infecção de pele molusco contagioso, não deve ser visto como algo perigoso, não havendo mesmo necessidade de tirá-la do infantário, ama ou escola, ou mesmo de outras crianças com quem normalmente está em contacto físico.

 

As melhores hipóteses para poder evitar ou prevenir a infecção de molusco contagioso passam sempre por não partilhar toalhas, brinquedos, roupa e mesmo até a água do banho. Se possível, também é sensato evitar o contacto com outras pessoas, por exemplo, cobrindo as partes infectadas com roupa.

 

Algo que também se pode fazer, embora possa ser algo difícil, é o de não coçar a área ou áreas infectadas, especialmente no caso das crianças, que têm mais dificuldade em controlarem-se. Ao coçar-se poderá propagar ainda mais a infecção da pele para outras zonas do corpo.

 

Tratamentos para molusco contagioso

 

Embora molusco contagioso possa desaparecer por si próprio normalmente no espaço de 6 a 18 meses, existem tratamentos que podem ajudar a acelerar o processo de cura em muitas pessoas.

 

Actualmente poderão existir tratamentos de receita médica ou outros tratamentos médicos, mas cada vez mais pessoas estão a "virar-se" para os chamados tratamentos naturais ou alternativos para o molusco contagioso. Enquanto que alguns medicamentos de receita ou tratamentos médicos poderão causar certos efeitos secundários e mesmo alguma dor, os tratamentos naturais ou alternativos não deverão causar esses mesmos efeitos secundários, caso a pessoa não seja alérgica a esses mesmos tratamentos.

 

A melhor solução será sempre aquela com que a pessoa se sinta mais comfortável, pois cada pessoa é diferente e os resultados também poderão ser vários e diferentes para cada uma pessoa.


mais sobre mim
Junho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
22
23

24
26
27
29
30


arquivos
2012

2011

pesquisar neste blog
 
Google+1
Twitter
blogs SAPO